quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Sobrevivi a 2014! Reflexões e Votos.


2014...ah aninho complicado. Mas, enfim, chegando ao fim. 

Apesar de ter consciência que o ano pessoal/natal é bem diferente do ano gregoriano, algumas reflexões valem a pena, ao menos para ficar registrado.

Vou dizer que esse ano foi de todo ruim? Não! Algumas coisas boas aconteceram. Infelizmente, registramos mais o que há de pior do que o há de bom; um erro, mas importante para que nós, seres humanos, possamos aprender as lições da vida, afinal de contas já diz o adágio: "aprendemos mais com a dor do que com o amor". Registrar o que nos machuca também é uma forma de defesa, no qual, tentamos não cometer os mesmos erros e prosseguir com a vida e suas experiências.
Este ano de maneira geral, foi complicado a nível econômico; acredito sim, por experiências alheias, que este fator afetou a todos. Mas, entre 'troncos e barrancos' consegui sobreviver!!! A nível de saúde me mantive no controle, e isso é bom! Emocionalmente, alguns abalos; mas nada que venha a me derrubar, afinal de contas por mais racionais que tentamos ser, sempre estamos sujeito a influência comportamental dos outros.




Meu ano pessoal do Tarô, transitando entre as cartas do Diabo e Torre não poderia ser diferente do que aconteceu; me senti, as vezes, amarrado; outras vezes liberto e aproveitando os prazeres de forma telúrica; os grilhões da 15 na maioria das vezes, emocional, me causou muitas dores e cicatrizes. Não seria novidade que em determinado momento eu tivesse que me despir de uma velha roupagem, à custas dores, pela Torre. O meu segundo semestre pessoal foi de plenos desafios; cada tijolinho de minha Torre teve que ser destruído e aos poucos ainda me encontro no processo de recuperação. Me sentir em meios aos escombros e a poeira de demolição foi necessário, para que eu pudesse rever muitas coisas. Não morri soterrado, mas saí muito machucado.

Em fim, estou a caminho da Estrela, e espero que Ela possa me guiar na direção correta em busca de melhoras pessoais e produtividade.

Este ano, foi um ano de tomada de decisões precipitadas, o que culminou em vários aborrecimentos e arrependimentos. Mas, para que servem a não ser nos mostrar a verdade por trás das aparências? Aceitar nossos erros como parte de uma melhora de vida é fundamental para nossa evolução e principalmente para termos consciência de que, mesmo sendo seres coletivos, devemos zelar e preservar nossa individualidade.

Neste novo ciclo, minha palavra chave será, sem dúvida: LIBERDADE. Uma liberdade que envolve muito mais do que meu direito civil de ir e vir, uma liberdade da consciência, uma liberdade de existência, onde eu possa me livrar de meus receios e inseguranças e lançar-me, sem medo nas conquistas, nas metas, na vida.
Sei que ainda estou no processo de recuperação do meu estado de saúde psíquica e física, mas hoje me sinto mais fortalecido, e espero mesmo que em 2015 eu possa voltar ao normal. Não existe, infelizmente, máquina do tempo; mas eu vou conseguir me aproximar de uma vida vivida há anos atrás, e o melhor: com experiência!

Mas também tive bons momentos este ano, e não vou deixar de registrá-los:

*Meus exames médicos se mostraram muito bons - sinal de que estou conseguindo controlar "meu amiguinho".
*Fiz novos amigos profissionais e participei de eventos enriquecedores. 
*Dei um bom movimento em meu livro - ainda em construção.
*Tive coragem de assumir minha etnia e resgatar alguns valores.
*Me libertei de alguns dogmas e conceitos que não faziam mais sentido, ou efeito para mim.

E como metas para 2015... ah... estas são sigilosas (risos); afinal de contas, uma coisa que muito aprendi na 15 e 16 é manter as coisas em silêncio. 

No momento, o que mais quero é manter meu processo de recuperação e libertação (cura) das amarras emocionais que tanto me angustiaram e me mantiveram presos a um padrão sem sentido e doloroso.

O que eu desejo aos meus amigos e clientes? :

Aos velhos, novos e futuros círculos sociais meus, sejam eles virtuais ou presenciais, desejo que a cada ano possam conquistar novas metas! Sim, desejo CONQUISTAS. Pois só cada ser em si é que conhece suas próprias necessidades. E respeitando este princípio, é que me posiciono desta forma. Que o Universo conspire sempre para que todos nós possamos atingir nossas metas.

A algumas horas de se findar esse ano gregoriano, me despeço então dele com um poema de Fernando Pessoa (O Infante), que resume em si tudo que penso neste momento em que digito estas linhas; um poema profundo, que nos faz repensar nos valores de: Fé, Esperança, União (com nossos desejos), Conquistas, e Liberdade.


(Interpretação musicada de Dulce Pontes - Uma diva da voz portuguesa)

Que venha 2015! E que jamais nos esqueçamos de que nós somos "Seres Divinos" (leia-se Estelares), cheios de Super Poderes! Vivemos em "constelações", mas, cada um brilha na sua própria intensidade.

Fernando Omar Said (R.M.S)#

Nenhum comentário:

Postar um comentário