sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O Livro (26 do Lenormand)



Adoro Ler, é mais que um hobby para mim, é quase um vício. Muitos também devem gostar, pois livros nos levam a 'viajar' sem sair do lugar, nossa mente é exercitada, além de obtermos conhecimentos diversos.
O livro é fonte de informações, seja ela qual for. E também um objeto de registro escrito ou ilustrativo da História da humanidade e sua cultura. Sem o livro, provavelmente muita informação teria se perdido ao longo do Tempo. 
O livro como nos é apresentado no lenormand tem características contemporâneas; mas os pergaminhos da antiguidade tinham a mesma função: registrar e informar eventos para a posteridade. Com o livro as palavras não se perdem; o livro é a expressão física de nossos pensamentos e até mesmo de fatos que desejamos manter registrado para consultas, pesquisas, aprendizado ou meramente diversão imaginária - nos contos lúdicos ou fictícios. Nas páginas de um livro também podemos encontrar registros pessoais de uma trajetória de vida, como nas biografias, que nos servem de exemplos e onde estudamos os erros e acertos do outro para uma melhor caminhada na existência.
Como podem observar, o livro tem diversas funções, e esta diversidade pode ser encaixada em qualquer leitura interpretativa do baralho lenormand, combinando as cartas ao lado da carta do livro como se fossem palavras escritas nele.
O livro geralmente tem autoria individual, mas destina-se a um uso coletivo; pois o objetivo do autor ou autores, é que outras pessoas o leiam. É a forma mais comum de transmitirmos nossas idéias e pensamentos para outrem. É fato que só lemos aquilo que nos interessa; mas gostos são diversos, e existem informações escritas para todos os fins.
Apesar da vida em si nos apresentar ensinamentos, o livro é a primeira expressão didática de conhecimento nos apresentada na infância, e conforme aquilo que formos lendo é que nos conduz as nossas escolhas e raciocínio sobre as coisas ou até mesmo nosso caminho pessoal e profissional. A leitura induz o indivíduo a pensar, fantasiar, escolher e contemplar; além de em sua maioria nos tornar filósofos, nem que seja por um breve momento.
Uma simbologia interessante nos livros representados no baralho lenormand está na forma que ele se apresenta. Alguns baralhos apresentam imagens de livroS (no plural); outros apenas um livro - aberto ou fechado. Esta icnografia é importante observar, pois nos remeterá ao objetivo de ação em relação a este livro. Por exemplo:
- Com vários livros, podemos ter a mensagem de transmissão de conhecimento através de pesquisas comparativas ou diversas. E neste contexto pode estar associado aos estudos dentro de uma área profissional.
- Com apenas um livro, e fechado, podemos ter a indicação de registros próprios e pessoais, como diários, grimórios, escrita sigilosa, documentos, ou simbolicamente a importância que tenhamos a curiosidade de ler algo novo ou obter um conhecimento mais profundo em uma área específica.
- Com apenas um livro, e aberto, temos o indicativo de uma informação ou conhecimento de domínio público, onde todos tem acesso, e a qualquer hora.
Ainda há baralhos que podem apresentar pergaminhos ou códices, que são registros e informações antigas e importantes para o conhecimento, geralmente de ordem mística, filosófica e religiosa, que foram as primeiras necessidades de registro para transmissão de dogmas e ensinamentos.



É importante também ressaltar que o nem todo livro possui informações verídicas; alguns tem a função de nos conduzir a um mundo de fantasia e nos afastar da realidade. Uma interpretação detalhada da função do livro na mesa oracular de consulta pode indicar se "este" livro tem a função de transmitir conhecimento importante ou superficial; se este "livro" tem a conotação de grimório ou diário de vida; se "esse" livro deve ou não ser lido.
O fato é que, todo livro pode ser visto; mas nem todos podem ser lidos! Temos que ter a consciência de que um livro pode ser uma ferramenta poderosa na mão de alguém; e nosso livre arbítrio nos conduz a prática do ensinamento ou experimentos apresentados no livro.
Ler é sempre bom, mas saiba escolher muito bem sua leitura; pois nossa mente absorve até o que subliminarmente está implícito entre palavras escritas. Escrever é fácil! Compreender o que está escrito que é difícil.

Tem escolhido bem sua leitura?
Costuma registrar suas experiencias para que sirva de exemplo para outros?
Segue receitas criadas ou procura desenvolver as suas?

Um ótimo dia de busca pelo conhecimento!

Nenhum comentário:

Postar um comentário