terça-feira, 4 de novembro de 2014

O Chicote (11 do Lenormand)



Este objeto nos remete imediatamente a dor e sofrimento. Mas será que se resume nisso? Hoje em dia, maus tratos por uso do chicote é proibido, mas ele permanece icnograficamente como um dos mais eficazes símbolos de controle, poder, adestramento, castigo, agilidade e força.
Temos no chicote a possibilidade de abordar diversos aspectos, tanto negativos como positivos na vida do consulente. Está originalmente ligado àqueles que lidavam com animais e isso faz do chicote um instrumento íntimo de ligação entre nós e instintos selvagens. 
Até que ponto estamos domando nossos instintos de maneira enérgica? Pense nisso! O chicote foi usado para controlar as feras, adestrá-las, e também como símbolo de poder e autoridade.
Quando nos deparamos com o chicote no jogo, é importante que saibamos em que aspecto este objeto está encaixado; pois muitas vezes nos pegamos com o chicote em mãos nos flagelando como penitencia pelos nossos 'pecados', nossas culpas.
O chicote nos leva ao ponto onde nossos limites estão sendo testados, através da dor e disciplina. Como símbolo de poder, pode nos conduzir a sabermos que somos responsáveis pelas nossas ações.
Quando acompanhadas por cartas da fauna (que tem ligação estreita) pode se referir ao adestramento de nossos instintos animais, muitas vezes sendo aflorados por determinadas ações.
O chicote é veloz, causa dor rápida e ferimento profundo de difícil cicatrização; mas, quem não tem suas 'feridas' abertas por um sofrimento passado? Portanto é imprescindível que saibamos lidar com nossos sofrimentos, administrar nossos instintos, procurar nos curar da ferida e aliviar nossa dor. O chicote vai estar sempre a posto para nos chamar a atenção e nos colocar 'nos eixos' caso saíamos da linha.
Muitos associam esta carta com magias e feitiços, e isso pode ser relevante pela interpretação da vassoura Besom (feita de galhos e ervas) que muitas vezes vem acompanhando o chicote em alguns baralhos. Mas talvez você pergunte: o que tem haver estes dois símbolos juntos? Bem, o chicote originalmente estava sempre guardado junto a besom, pois quando usado, os animais muitas vezes defecavam por conta da dor e este tipo de vassoura era usada para limpar os picadeiros de circo. Como alguns também associavam a vassoura besom às bruxas, ela tornou-se também um símbolo de bruxaria/magia/feitiço.
Mas, vamos voltar ao nosso chicote para algumas reflexões: 
1- Até onde estamos permitindo sofrimento pelo que julgamos nossas culpas?
2- Será que estamos adestrando, e não reprimindo, nossos instintos animais mais selvagens?
3- Como estamos usando nosso poder e autoridade portando o chicote?

Vamos lembrar sempre que este objeto pode estar em dois lugares: nossas mãos ou sobre nossas costas. O grande desafio é saber como usamos ele ou perceber que somos condenados em alguns momentos ao toque dele, seja por outros ou pelo próprio Universo. Chicote vai, chicote vem = Lei do retorno.

Tenham um bom dia! .... e livre de dor. ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário