segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O Cão (18 do Lenormand)



Que delícia esta carta! Quem me conhece sabe meu amor por esta espécie. Por sinal, a foto que vou utilizar são de meus bebês :D.
Esta carta é de facílima assimilação, pois este animal se encontra em todo mundo e com contato direto, muitas vezes humanizados, conosco. Só quem tem e cria com cuidado sabe que os vemos como filhos.
O Cão domesticado é descendente direto dos lobos? Ledo engano! Com o advento da ciência e mapeamento de DNA, foi constatado que o "nosso cão de cada dia" tem descendência do Chacal dourado, e considerado cientificamente como Canis familiaris , já o cão selvagem, este sim tem descendência direta do Lobo e sendo considerado Canis Lupus. O homem há mais de 10.000 anos vem domesticando este animal de acordo com suas próprias necessidades: caça, guarda, companhia, etc. E deste mecanismo de adestramento e cruzamento com chacais e coiotes surgiu diversas raças, e por seleção artificial surgiram variados tamanhos e comportamentos. Tudo sobre raças e comportamentos pode ser encontrado no site oficial de cinofilia internacional [Veja aqui]
Quanto aos sentidos dos cães é importante lembrar que só o olfato, visão e audição são apurados; já o tato e paladar são pouco desenvolvidos. Também são similarmente vulneráveis a patologias humanas.
A famosa frase: "O cão é o melhor amigo do homem" também data de tempos remotos, por descobertas arqueológicas no qual este animal encontrava-se enterrado com seus proprietários.
Temos a presença do cão em diversas épocas e com funções diversas e distintas, tanto no contexto social quanto no mítico. Inclusive, talvez muitos não saibam, mas no Oriente, principalmente entre o Egito e Macedônia, existiam exércitos de cães para guerra, usados inclusive por Alexandre, o Grande.
O Cão, por natureza, é carnívoro, porém quando o homem deixou de caçar e se voltar mais a agricultura, este animal passou a obter hábitos mais sedentários e menos violentos. Entretanto, isso não mudou a visão da Igreja na Idade Média quanto a este animal o associando ao inferno, submundo, e as trevas - lobisomens e vampiros. E cães, assim como gatos e pássaros foram queimados na inquisição com seus donos acusados de bruxaria.
Durante o Renascimento esta imagem foi diminuindo e a figura dos cães ressurgiu de maneira mais leve nas fábulas e contos, resgatando sua posição social amigável entre os humanos. Mas a acensão dos cães se deu mesmo entre a realeza, quando começaram a servir de companhia para os nobres, acompanhando as carruagens e guardando os aposentos reais dos descendentes. 
Para facilitar a assimilação desta matéria, vou citando alguns exemplos de cães famosos e os associando com prováveis interpretações do Lenormand. Vamos lembrar que se tratando de uma carta da fauna, por sinal, a única no baralho domesticada, temos que, as vezes incorporar o instinto canino para entendê-la; e/ou muitas vezes também a associa-la a símbolos míticos.

Em relação à amizade, lealdade e fidelidade temos exemplos de : Balto, e Hachiko
Em relação a segurança, temos mitologicamente Cérberus.
Em relação a sociabilidade temos exemplos literários e de animação como Pluto, Snoopy e Scoob-Doo
Em relação ao amor intimo e familiar temos exemplos de Pongo e Prenda (101 dálmatas) e Lady e o Vagabundo (Walt Disney- animação 1955)


Em relação a cobaias e experimento [que considero cruel] temos a Laika.

Na carta do cão podemos encontrar o simbolismo claro de amizade, lealdade, segurança, amor incondicional. É claro que, se tratando de uma leitura interpretativa, estes aspectos podem variar entre polos positivos e negativos. E falando de simbologia, vou encerrar contando uma experiencia interessante que tive:
- Em minha décima segunda turma de baralho Lenormand, eu tive uma aluna que quando estávamos estudando a carta do cão ela me veio com uma visão muito interessante. No curso eu utilizava o French Cartomancy Lenormand, e a figura do cão não está tão feliz,
 ( é comum vermos em outros baralhos um cão feliz). Então, como sempre faço, pedi a aluna que me descrevesse o que ela via na carta; e para minha surpresa ela começou a chorar e dizer que aquele cão estava com fome e abandonado! Então perguntei: Mas por que você vê isso? Responde ela: "simples Luq, este cão está com olhar triste, e o prato de comida dele está vazio; e olha que ele está preso, meu Deus! Como alguém pode ser tão cruel?" Neste instante eu parei, pensei e disse: É verdade 'fulana'! Esta carta realmente nos remete a tristeza, abandono, solidão...
E Como sempre, a cada dia aprendendo mais com todos.

Para reflexão:

Estamos cuidando de suas amizades com zelo, como se fossem preciosos?
Estamos nos comportando com lealdade e fidelidade em relação aos nossos amigos?
Estamos alimentando nossas amizades com amor, ou com ciúme e posse?
Usamos nossos amigos como cobaias de nossos experimentos sociais?

Um belo dia para todos, e lembre-se: cuidem de seus amigos, um dia eles podem cuidar de vocês.

Ontem recebi de um grande amigo/irmão (André Luis/ Galebi) um vídeo pelo whatsapp, vejam e reflitam: 







Nenhum comentário:

Postar um comentário