domingo, 8 de junho de 2014

Sobre religião e deuses



Primeiro, quero deixar bem claro que, RESPEITO o fé e devoção de todos - sem exceção. Este post se refere apenas a meu ponto de vista após longas jornadas, entregas, ritos, e devoção. Resolvi escrevê-lo após observar tantos post's pessoais/ e ou copilados em redes sociais fazendo apologia a crenças pessoais, enaltecendo seus templos e sendas, etc. Também não sou ateu, e tenho muita Fé, mas não cega.
Não vou entrar no mérito da espiritualidade, pois considero
avessa a 'religião' - como instituição, seja ela qual for.
Os deuses, se é que existem, se alimentam de nossa fé. Nada mais!. Quando deixamos de acreditar, eles deixam de existir e não exercem influência nenhuma direta nem indireta com ninguém nem nada. Isso acontece há milhares de anos e continuará acontecendo.
Mas, confesso que, me irrita as vezes ver pessoas tão esclarecidas e inteligentes se apropriarem de mitos, ritos e dogmas para se sentirem tão importantes diante dos mais 'não tão cultos'. A via inversa dessa prática gera uma das mais absurdas atitudes do ser humano, o fanatismo. Além de que se inicia um círculo vicioso de entrega desnecessária a estes 'seres', muitas vezes atribuindo nossas vitórias e fracassos a eles, ou aos desígnios desta ideologia.
A vida está evoluindo, e a Natureza não espera os mais carentes/ou não para acompanhá-la nessa jornada. Quando eu vejo os rumos em que a Fé está tomando, sendo manipulada por líderes religiosos para seus mais vil bel prazer, realmente me irrita. Talvez não tanto com eles (pseudos sacerdotes), mas principalmente nos féis 'cordeiros' que tentam se agarrar a algo inexistente em busca de soluções para seus problemas.
A História está cheia da queda de grandes impérios religiosos, e o povo não pára para raciocinar: Onde estavam esses deuses tão venerados? A equação é bem simples, basta ouvir o povo:
- Quando segui a religião X minha vida deu uma guinada.
- Quando segui a religião X minha vida desmoronou.
- Quando fiz um rito para o deus X tudo de bom aconteceu.
- Quando fiz um rito para o deus X tudo deu errado.
E assim caminha a humanidade com as mesmas frases só mudando os deuses de X para Y...

Acredito que seja mesmo um círculo vicioso - lobos versus cordeiros. E estamos tão preocupados com nosso próprio umbigo que não paramos para observar os detalhes por traz dessa maldição chamada Religião.
Outro aspecto interessante é observar que o povo está tão envolvido nesta egrégora que passam mesmo a acreditar que suas bençãos e fatalidades devem ser aceitas como propósito dessa cega fé.
E quando falo  em Instituições Religiosas, me refiro a TODAS - Cristãs, Protestante, Islâmicas, Judaicas, Neo-pagãs etc.
É de suma importância que no contexto atual tenhamos uma percepção mais lógica de nossos potenciais como Ser Humano. Nossa mente é capaz de tudo, inclusive de parir 'novos deuses' (rsrsrs) e o ciclo continuar.
Mas, mesmo não acreditando nos deuses como 'governantes' das religiões ( pois acredito, mas de forma bem diferente), tenho esperança que o Ser Humano um dia caia na real, e fuja de seus pastos ou rebanhos.
Vale apena rever um post que publiquei sobre a diferença entre Religião e Espiritualidade: Clique aqui ou sobre a função de nossa espiritualidade: Clique aqui .

Terminando esta reflexão com duas frases que adoro:

"O medo criou os deuses" ( Lucrécio)
"A Religião é o ópio do povo" ( Karl Marx )

E um trecho da música de Marcos Viana que tem tudo a ver com esse texto:

"...Na terra dos homens, no circo dos anjos, guardiões implacáveis do céu
Dançamos a dança da vida no palco do tempo, teatro de Deus..."

Clique no link p ouvir 









Nenhum comentário:

Postar um comentário