terça-feira, 22 de outubro de 2013

Runa MANNAZ

MANNAZ / MANN

“byth on myrgthe ... his magn leof,
Sceal theah anra gehwylc … othrum swican,
For than dryhten wyle dome sine
Thaet earme flaesc eorthan betaecan.”


Um homem em sua alegria é querido por seus parentes
Ainda que cada um possa decepcionar o amigo que ama
Pois o Senhor em seu julgamento destinará
Esta desafortunada carne à terra.





O verso para mannaz, “homem”, destrói a imagem da força e do poder tão cuidadosamente construída nos primeiros versos do aett. Esse verso é surpreendentemente negativo. Não há nada igual a ele nas estrofes anteriores. O verso para “homem” apresenta um estado inculto : feliz, cuidadoso e amado, e então, de repente ou até consequentemente, nada. Neste verso há um distinto onipotente do qual o homem é ‘objeto’. Ele apresenta uma imagem do qual a vida tantas vezes parece ser, afirmando que não há nada mais par o homem além da carne. Aqui a “sorte para o julgamento” lançada na estrofe de abertura, fracassa. A implicação é que isso sempre acontece da maneira errada.

No entanto, na visão ambivalente deste verso, nos mostra com clareza que o homem também pode ser amado e querido por seus parentes, uma forma de amor, muitas vezes incondicional, se tratando de maternidade/paternidade, e essa condição faz do homem uma ajuda ao outro, condizendo com as mesmas expectativas.

Pesquisas arqueológicas encontraram na Islândia gravações desta runa em artefatos que simbolizavam laços de amizades, por exemplo: em armaduras e instrumentos de guerra que eram confeccionados para presentear, no entanto não se sabe ao certo se nessas inscrições havia algum significado mágico no sentido de proteção contra as decepções que esses prováveis laços de amizade trariam, entretanto, uma coisa é certa, de que mannaz simbolizava essa ligação entre as tribos, fortalecendo de alguma forma os laços no caso de precisarem de ajuda.


Na leitura divinatória pode significar:


Plano material – associações comerciais, ou ajuda de amigos/ “terceiros”, fortalecimento de laços familiares, brigas com questões de inventario/herança.
Plano abstrato – desconfiança, falsidade, materialismo, amor incondicional, inveja.
Plano sentimental – traições , falsos/verdadeiros amigos, conselho de terceiros, desavenças,  pré-julgamento.
Plano da saúde – busca por orientação médica, dependência física, problemas de saúde hereditários.

Plano espiritual – ajuda de um sacerdote,  conselho, limpeza espiritual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário