domingo, 13 de outubro de 2013

Runa BERKANO

BERKANO / BEORC

“byth bleda leas, ... bereth efne swa theah
Tanas butan tudder, bith on telgum wlitig
Heah on helme … hrysted faegere,
Geloden leafum, … lyft getenge.”

O álamo não tem frutos,... mesmo assim lança
Brotos sem ser semeados têm ramos brilhantes
Altos, ...num elmo ornamentado
Carregado de folhas,... tocando o céu.





Berkano (beorc) é a segunda arvore a aparecer como uma runa, mas a identidade desta arvore no poema rúnico é um enigma, apesar de beorc poder ser traduzido como bétula, tanto no poema islandês, como no norueguês, a bétula não se ajusta a descrição no verso acompanhante. O verso descreve uma arvore cuja reprodução é incomum desde que não segue o ciclo de flor-semente-broto-arvore.

Este ciclo reprodutivo mais comum era um dos temas do aett anterior, e foi representado naquele aett pela oposição de uma boa colheita e necessidade. A descrição da reprodução neste verso esboça o processo que é o tema predominante do aett de Tir, o processo de crescimento no qual não há lugar para a morte, um processo onde a expansão tem lugar sem a contração correspondente. Essa runa é interpretada “populus” em algumas listas rúnicas medievais, e na verdade a árvore descrita se ajusta ao álamo. O álamo preto, é uma árvore britânica nativa cujo nome pré-chauceriano não é registrado. Em geral os álamos não produzem sementes nos frios climas nórdicos, e se reproduzem inteiramente por brotos, adaptando-se por isso a descrição oferecida no verso rúnico.

Beorc é descrito como tendo “ramos brilhantes”; a casca da bétula nas arvores jovens é prateada, mas as folhas do álamo brilham prateadas na brisa por toda vida. A árvore está “tocando o sol”; esta frase é de importante valor simbólico no aett de Tir, onde os talismãs celestes são usados como guias. Os álamos pretos crescem a uma altura de 2,5m, enquanto a bétula é em media ,5m, e pode ser muito menor nos climas frios. O verso inclui uma imagem guerreira, de acordo com os temas do aett, e por isso descreve árvores essencialmente masculina. A bétula é invariavelmente associada com o principio feminino, o álamo não. A imagem guerreira dessa estrofe é aquela do elmo escandinavo-ingles como descritos nas saga de Beowulf, e encontrado no Sutton Hoo : um elmo disfarçado, tendo chapas de folhas dourada em volta da coroa. As coroas desses elmos brilhantes como faróis, como Tir e Ing, e como um álamo distante brilhando ao vento. O tronco de álamo preto inteiramente desenvolvido é limpo de ramos que são confinados numa densa coroa no topo da árvore, cujas folhas seriam usadas para efeitos medicinais.



Na leitura divinatória, pode significar:


Plano material – sucesso, crescimento e brilho, elaboração de novos projetos, associações comerciais benéficas.
Plano abstrato – sexto sentido aguçado, ilusão, utopia.
Plano sentimental – desenvolvimento da relação, segurança, controle emocional, alegrias no lar (família), circulo social favorável.
Plano da saúde – problemas no abdômen ( + rins/baço), retenção de líquido, cuidado com gestações, cura através de medicação alopata.

Plano espiritual – defesa, convivência em ambientes religiosos, entrega excessiva, fanatismo, cura através do toque.

Nenhum comentário:

Postar um comentário