sábado, 24 de agosto de 2013

Runa URUZ

URUZ / URUS / UR

“ byth anmod ond oferhyrned,
Felafrecne deor,...feohteth mid hornum,
Maere morstapa; thaet is moding wunt.”

“ O auroque é sincero, como chifres
Subindo alto, um feroz lutador de chifres
Pisando seu pântano, uma besta admirável.”





Em  fehu salienta-se a inter-relação de riqueza e poder, o boi tornou-se oculto, para reaparecer surpreendentemente na segunda runa como uruz, o boi selvagem. A força e a tenacidade desse boi impôs respeito. Na sociedade rúnica o poder residia não somente na riqueza, mas também na força e na liberdade, a besta indômita não é dominada por ninguém. O domínio e a defesa de um território pessoal, o lar, são revelados nesse verso com uma busca respeitada e necessária.

Há uma dupla referencia aos chifres do auroque no verso. Isso pode ser interpretado no sentido de que apesar do auroque estar firmemente enraizado no mundo físico, ele todavia aspira na direção do mundo espiritual. Os elmos com chifres escandinavos antigos, usados em cerimônias religiosas, talvez fossem talismãs mágicos designados não somente a produzir habilidade da força e da luta do touro em que o usa, mas também para indicar que o guerreiro luta para conquistar todos os mundos. Tradicionalmente os chifres simbolizam a penetração em um outro mundo.

No “Thesaurus” de Hickes e no glossário medieval ( lista de palavras com equivalência em outra língua), a runa uruz é explicada pela palavra latina “ noster” que é pronome possessivo “nosso”. Essa interpretação surge do fato que as palavras para “auroque” e “nosso” no inglês antigo eram ambas (ur-e). Tais exemplos de homonímia (significados diferentes com sons iguais) podem ser consideradas como indicações de uma relação simbólica especial entre os sentidos. No verso, o auroque é descrito como “sincero” e “pisando seu pântano”; ele é uma criatura possessiva protegendo o chão que pisa ( de sua casa ). Essa característica e a interpretação de “noster” pode ligar esta runa com a runa Othila, o lar. O lugar no qual as pessoas crescem. Privados desse espaço, elas podem ter o mesmo destino que o auroque, ou seja, a extinção.



Na leitura divinatória pode significar :


Plano material – conquista profissional, competição, aquisição material. 
Plano abstrato – força/fraqueza, luta, domínio físico, sobrevivência, liberdade. 
Plano sentimental – controle da relação (ou perda do mesmo), territorialista, agressividade (por ciúme), conquista/perda.
Plano da saúde – força física/ fraqueza, disposição/cansaço, limitações por pequenos acidentes.

Plano espiritual – sacerdócio, elevação, comunicação facilitada com o plano mágico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário