segunda-feira, 6 de maio de 2013

A Raposa (14 do Lenormand)




É impressionante como a figura da raposa, quando aparece em uma jogada, causa certa apreensão. Principalmente ao consulente, que já tem incutido em sua memória cultural o simbolismo como sendo da "traição". Todos nós temos medos de ser traídos, uma fobia comum; mas que não passa na realidade, do medo de nossos próprios fracassos. Quando somos traídos tendemos a culpar o outro, e muitas vezes não paramos para perceber nossas próprias ações, que muitas vezes levam-nos a tomar uma "rasteira" da vida, seja no emocional, material ou social. Mas vamos deixar essa coisa de traição para lá. O tema é a raposa.


Essa fascinante criatura nos passa uma gama de informações psico comportamentais que devem ser levadas em consideração em uma leitura. Afinal as imagens não estão atoa no Lenormand, tudo tem seu simbolismo. Lembrando que, estes textos são uma visão pessoal e devem ser consideradas como tal. As questões, quando colocadas diante do oráculo, devem ser claras e objetivas, para que a mensagem não dê margem para outras especulações.

A Raposa é um animal de hábitos interessantes. Do grupo dos Canidae, o Alopex (raposa) não vive em grupos ou matilhas, são animais solitários. Extremamente hábeis, procuram capturar sua caça viva, e nunca desperdiçam nada, guardam para depois. Sua agilidade e faro a fazem um caçador exímio, sempre pegam suas vítimas de surpresa e muitas vezes com auxilio de armadilhas naturais. Portanto, as caças devem estar sempre alerta. O que se aplica a tudo e todos. Uma situação em que a raposa está circulando, nos trás a necessidade de estar atentos ao que não podemos ver, mas que está nos observando. Isso não significa uma situação imediata, haja vista a raposa levar até meses estudando os hábitos de sua caça. A raposa na leitura pode significar tanto o risco iminente, quando o premeditado, ou as vezes, apenas a observação de alguém sobre nós.

A raposa é uma caçadora solitária, portanto não precisa de um grupo para atacar. No ponto de vista oracular deve-se ter essa observação. Pois aquilo que vai lhe pegar de surpresa, pode na maioria das vezes, estar fora do seu convívio pessoal - de uma matilha. Ser algo ou alguém que chega repentinamente.

A raposa não tem hábitos gâmicos, o macho só procura a fêmea para acasalar, fica um tempo sustentando a família, geralmente por poucos meses, e depois vai embora. Esse comportamento animal pode sinalizar uma situação amorosa onde um dos envolvidos não esteja interessado em ligações emocionais, e sim extintivas. Nestes casos não considero uma traição, desde que não haja comprometimentos entre ambas as partes. Entretanto, levando em consideração o extinto e possivelmente o descuido, uma "puladinha de cerca" pode desencadear uma gestação, e aí a coisa complica, pois não há só uma quebra de fidelidade e sim de lealdade.

Outro aspecto interessante vem pelo lado cultural dos ciganos nômades da Eslováquia, que consideravam a raposa um animal sagrado - suas habilidades de guarda era utilizada com frequência, substituindo cães, pela resistência a baixas temperaturas. Por isso também usadas como as guardiãs dos segredos e de alguns altares ciganos ancestres. Algumas raposas do norte da Europa instintivamente reconheciam ervas e tubérculos que as curavam de feridas e enfermidades. Isso estranhava alguns, pois se tratando de um animal carnívoro, como as vezes se alimentava de ervas? Esse comportamento, como dito, é instintivo e não se aplica apenas as raposas, alguns cães também a praticam. Mas isso nos leva a uma observação de outro aspecto a ser considerado em leituras, caso estejam ligadas a saúde do consulente. A raposa é especial em vários aspectos, e se tratando de saúde, ela pode ter o conhecimento necessário para uma cura ou tratamento eficaz. Eu costumo associar a raposa, nas questões de saúde, ao médico especialista em determinada área.

Bem, é uma carta bem complexa, e só as experiências pessoais de cada um pode determinar uma interpretação própria dentro de cada realidade. Afinal de contas ultrapassar nossos desafios, focar, observar, estar atendo nunca é demais. Vamos lembrar que a vida é uma eterno ciclo de mudanças, estar firme pelo 9 de paus é fundamental, mas resistir as mudanças pode ser perigoso, pois se criarmos hábitos e rotina a raposa vai ter facilidade em nos caçar. Ela é astuta, persistente, vigilante, sábia, mas a facilidade que a vítima dá a ela é justamente o padrão construído.

Nenhum comentário:

Postar um comentário