segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Ebó resolve tudo?



Primeiro vamos definir o que significa Ebó. 

Literalmente a palavra Ebó vem de uma junção vocábulo yorubá que significa Èmi (pronome eu) + Bó (verbo cobrir). Emìbó = corruptela Ebó.

É de costume nas culturas nativas se fazer oferendas e anátemas para as divindades, e uma forma muito comum era "cobrir" os santuários de objetos, alimentos destinados a divindade. Assim sendo, cobriam a terra no local onde a divindade habitava, ofertando seu anátema.

Sabemos que o "espírito" se alimenta do que etéreo  portanto o odor e luz são fundamentais; é aconselhável não deixar as oferendas alimentícias se deteriorarem diante do santuário.

Bem, "cobriu-se" ou ofertou a divindade determinada oferenda; Foi aceita? Vamos lembrar que para o Todo não existe certo nem errado, apenas desperdício de energia e tempo. Mas, o que determina a "necessidade" de um ebó?

O costume surgiu diante do oráculo. Quando as pessoas consultavam Ifá ( divindade que vê o futuro), seus sacerdotes pediam em troca da visão, uma oferenda a seus deuses. E assim se foi construindo essa egrégora de que toda leitura "pede" um ebó. Entretanto, vamos observar duas realidades diferentes - a deles, sem moeda corrente, sendo vegetais e caça como paga; e a nossa - já tendo nossa moeda corrente. Assim, ao meu ver, não há necessidade, hoje em dia, de toda leitura, ser solicitada a preparação de ebós. Já  recebemos em $$$ e com ele, vamos fazer pelos "Nossos".

Então, livre exceção, como ditar ebós para tudo? No meu ponto de vista, uma boa leitura e observação detalhada dos Odús e Omo Odús, é que vai determinar se há realmente uma necessidade de que alguma oferenda seja feita. Lembrando que, não podemos jogar para as divindades yorubá as responsabilidades sobre nossos erros e frustrações  Sendo assim, quando um determinado Odú solicita um anátema, isso quer dizer que Ele lhe fortalecerá para resolver sua situação, e não que Ele resolverá para você.

Então, vamos ficar alertas! Nem a todo Odú ou Orixá deve ser ofertado ebó desnecessariamente  Vamos observar que tudo segue seu fluxo natural, e como tal - uma religião da Natureza, deve seguir seu fluxo.

Luqiam (21-01-2013)



Nenhum comentário:

Postar um comentário