quarta-feira, 7 de março de 2012

Neteru ( Deus )


Há uma grande discussão quanto a "verdadeira" adoração religiosa dos egípcios antigos. Pouco se sabe, na realidade, pois inúmeros manuscritos e escritas nas tumbas e templos, tratam em comum uma veneração por uma divindade "superior" e solar.
Não vamos nos abster de que havia sim um politeísmo no antigo Egito; entretanto, estes deuses antropomórficos eram cultuados popularmente pela plebe e não pela realeza, a qual se atribuíam as características do supremo Deus solar - Rá.
Ao contrário do que muitos leigos pensam, o culto sacerdotal no antigo Egito se baseava principalmente no movimento e observação celeste; enquanto o culto popular era organizado pelo movimento sazonal que correspondia as cheias e secas do Nilo. Hoje já é de comum acordo entre muitos egiptólogos, que havia uma mescla nestes meios de adoração; os textos antigos citam os "mistérios secretos" e os "mistérios populares"; assim sendo, passa-se a considerar que todas as divindades antropomórficas eram partes ou personificação deste Ser celeste, criador de todas as coisas - o qual, vale lembrar, não tinha gênero, nele contia as duas polaridades : feminino e masculino, sombra e luz.
Eu particularmente, não gosto de usar o termo "monoteísmo", pois no meu entendimento, apesar de algumas dinastias elevarem a crença de um único Deus, no fundo se cultuava todos os outros, que outrora já faziam parte da casta popular. Prefiro o termo henoteísmo, onde uma divindade recebe um posto elevado, e as outras a servem; dessas maneira, aparentemente uma adoração única nos templos pode ser considerada, não excluindo a existência dos deuses populares.
O Dr. Wiedemann considera que três principais elementos podem ter constituído a religião egípcia:
1- Um culto Celestial - solar, que caracteriza um deus supremo criador de todas as coisas e administrador delas, e que manifesta seu poder através da Luz  - solar ou lunar.
2-Um culto de poder de regeneração da natureza - mais popular; expressados na adoração dos deuses "ithi phallic" (com pênis erecto); deusas férteis; deuses da vegetação e deuses animais. Sendo observado no ciclo natural da criação térrea.
3-Um culto aos deuses antropomórficos, o qual caracterizava um atributo de estarem entre os dois mundos, e em contato com o mundo dos mortos - local de julgamento da alma antes de partir para o céu.

E por exatamente os textos antigos conterem essa mistura de elementos, é que, não podemos afirmar ao certo que tipo de adoração era mais antiga. O interessante é que, até mesmo no Livro dos Mortos - considerados por muito um sinal do suposto "monoteísmo" do antigo Egito, encontramos nas Confissões Negativas, referencia a adoração de outros deuses : Capitulo CXXV 1.42 " Eu não pensei com desprezo no deus que vive em minha cidade"; isso pode ser uma alusão a Osíris, que era visto como um Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário