quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

O Sagrado Feminino





Há um certo preconceito e até descriminação por parte dos neo-pagãos atuais, em relação ao Cristianismo. Confesso que até eu mesmo há alguns anos atrás pensava e agia da mesma maneira; entretanto, venho mudando minhas concepções por observar detalhes antes despercebidos. Afirmo que minha ideologia é pagã, sou henoteísta - acredito em vários deuses, e tenho minha divindade particular; portanto, as colocações aqui não se trata de apologia ao Cristianismo, ou serei de maneira nenhuma advogado da instituição.
É fato, e comprovadíssimo, que a Igreja Católica Romana foi uma das instituições mas cruéis da Idade Média. Sim, "Idade Média", porque hoje em dia é a Instituição que mais ajuda os necessitados no mundo, talvez uma forma de se redimir das atrocidades na antiguidade; mas não é o caso da discussão. Bem, mas o que isso tem a ver com o Sagrado Feminino? A Instituição foi e sempre será patriarcal; por trás das grandes atrocidades contra as mulheres não estava só a acusação de heresia, mas também a imposição do masculino sobre o feminino; a colocação de uma falsa superioridade; tudo para reprimir o incontestável poder do Feminino, desde o culto a Grande Mãe. Mas será que isso foi mesmo suprimido, ou camuflado em outras formas?
E é aí que quero chegar. Hoje em dia, nós, neo-pagãos ou simpatizantes da religião antiga, cremos e veneramos o poder do Feminino; criticamos o patriarcado das religiões contemporâneas; mas, não paramos para ver os detalhes por trás de tudo até hoje desenvolvido - o culto ao sagrado feminino ainda vive! E dentro destas instituições patriarcais.
Já observaram que mesmo com um foco extremamente patriarcal, a Igreja Católica venera o Feminino de forma muito singular? O culto as Virgens [virgem], as Mães [Mãe] e as Nossas Senhoras [Anciã]; vejam a similaridade com a triplicidade da Deusa. E então pergunto: Onde está o motivo de tanto preconceito e descriminação? Por que não podemos respeitar e quiçá aceitar este tipo de veneração? Aceitamos e respeitamos nossos irmãos pagão quando adoram deusas de culturas distintas, até participamos e comungamos com o propósito. E quando se trata de Catolicismo, por que tanta discriminação?
Isso chega a me assustar, porque pregamos tanto a tolerância e não conseguimos praticar. Mas, talvez vocês questionem: - mas a Igreja perseguiu os pagãos na antiguidade e reprimiram o culto a Deusa. Ok, mas já pararam para pensar quantos pagãos também mataram cristãos em nome da Deusa? Isso, a moeda tem dois lados, e não podemos viver nossa realidade baseada em ações na antiguidade. Por isso procuramos re-construir os ritos e culto à nossa Grande Mãe; se tivéssemos que levar tudo ao pé da letra, ou se basear na realidade antiga, nós neo pagãos, teríamos que nos mudar para um lugar bem isolado, viver da agricultura e caça, fazer sacrifícios animais aos deuses, e por fim guerrear com o Vaticano.
Considero que seria interessante rever alguns conceitos e tentar exercitar uma tolerância tão pregada.
Bendita a Deusa em todos seus aspectos! Salve o Sagrado Feminino em todas suas épocas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário